Dica de restaurante em Lisboa

Lisboa é uma cidade, apesar de antiga, moderna e jovem. Além dos clássicos, o que me chamou mais atenção na cidade foram as lojas descoladas e restaurantes bem cool que ela oferece. Procurando os restaurantes próximos ao The Lisbonaire Apartments (apart-hotel ótimo que fiquei e indico aqui) encontrei na mesma rua – a famosa Rua da Glória – o “Quermesse“, um exemplo de restaurante que não estava no roteiro que eu montei e que foi uma ótima surpresa.

Dica de restaurante em Lisboa

IMG_5841 IMG_5840

O Quermesse é um restaurante de comida portuguesa com preços bem acessíveis e um pouco de culinária mediterrânea envolvida. Além do restaurante o Quermesse também tem uma lojinha bem legal que vende vinhos, utensílios para cozinha e lembranças de Portugal e uma galeria de arte (que não visitei, mas que parece não deixar nada a desejar como todo o resto do estabelecimento).

A comida é incrível e o atendimento maravilhoso. O restaurante não é grande e conseguimos mesa apenas porque chegamos cedo logo depois de ter aberto pro jantar (por volta de 19 horas), mas pouco tempo depois o “Quermesse” estava lotado e com fila de espera, portanto recomendo fazer reserva pelo próprio site deles.

Esses foram os pratos que pedimos.

IMG_5835 IMG_5836

Predago à Portuguesa e um prato chamado “Rei Bitoque”

IMG_5837 IMG_5838

Risoto de pato e risoto de bacalhau com lagostim

Os preços variam em torno de 10 euros por prato e o cardápio é bem variado.

Endereço:  Rua da Glória, 85 – Lisboa

Horário de funcionamento:

Segunda a Sexta-feira: 12h – 14h | 19h – 24h

Sábado e Domingo: 19h – 24h

Hostel em Copenhagen – Nyhavn

Já fiz um post indicando o melhor hostel de Copenhagen e que, por sinal, é o melhor que já fiquei na vida, aqui no blog. A sua localização é incrível, o staff, a cozinha, os quartos, ele é todo prático, moderno e bonito de se ver. Tive duas estadias distintas em uma mesma viagem em Copenhagen. A primeira foi quando cheguei na Europa e a última foi quando estava indo embora e fiquei mais dois dias por lá para passear mais e pegar meu vôo de volta. Infelizmente não tinha mais vaga no Urban House para as minhas últimas diárias e tive que procurar no Booking um outro hostel. Encontrei o Bedwood Hostel e optei ficar por lá.

Hostel em Copenhagen – Nyhavn

 

Fotos: Reprodução do site oficial do Bedwood Hostel

Sua localização é no coração de Nyhavn, a região mais fofa da cidade – um canal com vários barcos, casinhas coloridas e restaurantes legais. O hostel tem uma decoração bem legal toda de madeira, porém bem moderna e atual. Os quartos compartilhados são muito bons, tem um locker grande que cabe a mala, tomada e abajur em cada cama, além de ter uma cortina em cada colchão que eu acho fundamental para a privacidade.

O canal e os prédios coloridos de Nyhavn.

O Bedwood Hostel oferece um café-da-manhã por 7 euros e a diária em alta-temporada é de 52 euros em um quarto compartilhado de 6 camas. Na minha opinião o Urban House ainda é muito melhor, mas caso não esteja disponível ou queira ficar em Nyhavn, recomendo o Bedwood sem dúvidas.

Interior do quarto compartilhado. Foto: Reprodução do site oficial do Bedwood Hostel.

Para fazer a reserva com cancelamento grátis e pagamento durante a estadia recomendo o Booking.

Leia também

Como ir do aeroporto de Copenhagen ao centro

O melhor hostel da vida em Copenhagen

Vídeo – 3 dias em Copenhagen

Christiania – tudo sobre a “cidade livre” em Copenhagen

The Cloisters, o museu do MET em um castelo medieval

O The Met é um grupo de três museus em Nova York, são eles, o mais famoso, The Metropolitan Museum of Art, o The Met Breuer e também o The Cloisters. O The Cloisters é o menos conhecido por ficar bem distante da área central e mais turística de Manhattan.

451 

O The Cloisters é um museu de arte medieval localizado em um castelo incrível no Fort Tryon Park no norte de Manhattan. O museu possui mais de 2.000 peças medievais expostas em vários ambientes do castelo.

433 434

435 446

Além do museu em si o castelo já é uma super atração e já vale a visita além de ter uma vista incrível para o Rio Hudson. O The Cloisters fica aberto todos os dias da semana e de Março a Outubro funciona de 10 às 17:15 e de Novembro a Fevereiro de 10 às 16:45.

Como chegar no The Cloisters 

A maneira mais fácil de chegar no museu é pegando a linha A (azul) Uptown em direção a Inwood e sair na 190th. De lá sair da estação pelo elevador e pegar o ônibus M4 que deixará na porta do The Cloisters ou andar na direção norte (a direita de quando sair da estação) pela Margaret Cobin Drive por aproximadamente 10 minutos.

427 429

Assim como todos os museus do The Met o ingresso é “pay what you wish”, ou seja, você determina quanto pode pagar.

Endereço:

99 Margaret Corbin Drive
Fort Tryon Park
New York, NY 10040

Leia também

O melhor cookie de Nova York

Como ir de Nova York para Washington

Hostel em Nova York

5 atrações para não deixar de ver no MET

Um dia no Brooklyn – Ponte, DUMBO e Williamsburg

23 passeios para se fazer de graça em Nova York

Apart-hotel em Lisboa

Cada vez mais estou dispensando me hospedar em hotéis tradicionais e ando optando por ficar em apart-hotéis ou apartamentos. Acho muito mais cômodo principalmente o fato de ter cozinha o que influenciou muito nessa minha tendência. Amo um supermercado e o fato de poder fazer meu café-da-manhã ou até mesmo uma refeição antes de dormir com maior praticidade vale muito a pena.

Apart-hotel em Lisboa

Em Portugal não foi diferente e em toda a viagem uma das melhores estadias que tive foi em Lisboa no The Lisbonaire Apartments.

IMG_5832
Fachada do The Lisbonaire Apartments.

O The Lisbonaire Apartments é um apart-hotel no centro de Lisboa com uma localização incrível. Pude fazer praticamente todos os passeios a pé e caso não quisesse andar possui uma estação de metrô (Restauradores – linha Azul) bem pertinho. Para a Praça do Comércio são menos de 15 minutos andando e no caminho estão diversas lojas e cafés legais.

Cada apartamento foi decorado e mobiliado por um designer convidado, portanto são diferentes uns dos outro, mas todos super modernos. Fiquei em um estúdio de dois andares para quatro pessoas com cozinha e tinha tudo que precisamos.

Fotos: Reprodução do site oficial do The Lisbonaire Apartments

Todas as fotos são de apartamentos diferentes, a decoração nunca é a mesma e os detalhes de cada um deles estão no site do The Lisbonaire Apartments.

Eles tem todo o conforto de um hotel e de um apartamento – cozinha, espaço, camareira, recepção que dá todo o auxílio e segurança, estacionamento (pago), wi-fi gratuito e uma academia. No verão no período de alta-temporada uma diário de um apartamento para 4 pessoas custa 170 euros  e para 2 pessoas 134 euros.

A reserva pode ser feita no Booking com cancelamento grátis e pagamento durante a estadia.

Leia também:

O melhor gelato de Portugal

O melhor pastel de nata de Portugal

Onde ficar em Madrid

Onde comer o tradicional pastel de bacalhau em Lisboa

LX Factory – antiga fábrica com lojas e restaurantes em Lisboa

Descobri em Lisboa uma cidade bem descolada, moderna e jovem. Não sabia muito bem o que esperar, mas a capital de Portugal me surpreendeu bastante. Reflexo desse ar moderno de Lisboa é o LX Factory uma antiga área industrial onde hoje funcionam várias lojinhas super originais, restaurantes, estúdio de tatuagem, galeria e exposições de arte, além de ser palco de vários festivais de música.

IMG_5740 IMG_5742

É basicamente um lugar que junta arte, comida, compras e música em um espaço aberto super legal. No verão funciona uma feirinha com vários tipos de produtos, desde verduras e frutas até bolsas de couro sofisticadas.

IMG_5744 IMG_5747

Na feirinha também é possível encontrar vários mini-brechós por preços minúsculos (comprei uma bolsa por 2 euros!!).

IMG_5748 IMG_5749

O LX Factory fica no bairro de Alcântara logo abaixo da Ponte 25 de Abril. Todas as informações estão no site deles. Recomendo muito a visita, foi um dos passeios mais legais que fiz em Lisboa.

Uma das paredes do LX Factory.

Leia também:

O melhor gelato de Portugal

O melhor pastel de nata de Portugal

Onde comer o tradicional pastel de bacalhau em Lisboa

Roteiro de 5 dias em Madrid

 

Roteiro de 3 dias em Viena

Sempre que vou fazer um roteiro para alguma cidade pesquiso bastante qual a quantidade de dias ideal para ver “tudo” que tem que ver. Sempre acontece de no último dia eu descobrir várias outras coisas para fazer e não ter mais tempo, mas é sempre uma boa desculpa para voltar. Com Viena não foi diferente. A cidade é muito tranquila de visitar. Tudo muito civilizado e boa parte do passeio turístico é possível fazer a pé ou com os metrôs e trams que funcionam super bem. Decidi que ficaria 3 dias por lá e este foi o meu roteiro dia-a-dia.

Roteiro de 3 dias em Viena

1° dia

Cheguei na cidade depois do almoço, então tive apenas a tarde/noite para passear. Comecei pelo centro de Viena visitando a Stephansdom (Catedral de Santo Estevão), a famosa catedral em estilo gótico com um “telhado” incrível. É possível subir na torre da Catedral para ter uma vista dessa parte da cidade. Atrás da Catedral está a famosa Casa de Mozart, que é uma das atrações da cidade.

A Catedral de Santo Estevão e seu famoso telhado.

A região de Santo Estevão é onde fica o comércio principal e é por lá que encontra-se lojas como Zara, Topshop, etc. Depois segui para o Complexo Hofburg, que tem jardins incríveis, restaurantes, cafés e um dos blocos do complexo é o MuseumsQuartier, um quarteirão só com museus. Pelo horário não pude visitar, mas já estava programado de voltar lá.

Detalhes do Palácio de Hofburg.

2° dia

Tirei o segundo dia para fazer coisas mais afastadas do centro da cidade. A primeira parada foi o Schloss (Castelo) Schönbrunn. Para chegar lá é só pegar o metrô U4 até a parada Schloss Schönbrunn. O preço do ingresso varia bastante, mas é a partir de €13,30 e os tipos de tour podem ser vistos no site deles. Depois segui para o Schloss Belvedere. Na estação Schönbrunn peguei a linha U1 cor vermelha e desci na estação de Sudtiroler Platz, De lá é só caminhar 5 minutos e chega no Belvedere. As opções de tickets também são variadas e tem todas as informações aqui, mas a visita completa de todo o castelo custa 20 euros para um adulto.

No Palácio de Schönbrunn.
Parte traseira do Palácio de Belvedere.

Em seguida fui para o Karlskirche, uma igreja barroca incrível que possui também um elevador panorâmico com vista para a cidade. Para chegar lá é só pegar o metrô: U1 ou U4 para Karlsplatz. Depois para o Wiener Konzerthaus, a casa de orquestra da cidade e depois para a famosa Vienna State Opera, onde é possível, também, fazer visitas guiadas no interior.

A Ópera de Viena.

3° dia

No terceiro dia comecei pelo MuseumsQuartier – complexo de museus – visitando o Kunsthistorisches Museum que é o Museu de História da Arte de Viena (metrô U2 ou U3 atéVolkstheater) e é incrível. Depois segui caminhando para o MUMOK, o Museu de Arte Moderna e Contemporânea que também vale muito a pena.

O interior do Kunsthistorisches Museum.

Do MUMOK segui caminhando para o Museu Albertina (metrô U1, U2 ou U4 atéKarlsplatz) que hoje considero como um dos meus museus preferidos no mundo e já até fiz um post dedicado só para ele aqui. Depois de dedicar algumas horas ao Albertina fui para o Rathaus um palácio incrível que hoje funciona a Prefeitura de Viena (metrô U2 até Rathaus). Quando fui estava acontecendo o Wiener Eistraum, um festival de inverno incrível que já falei sobre aqui.

A fachada do Museu Albertina.

Viena é uma cidade incrível e que pretendo com certeza voltar. Não visitei todos os pontos que pretendia como: Sigmund Freud Museum, a casa de Freud (metrô U2 atéSchotenor em seguida pegar o tram D até Schilickgasse), o Hundertwasserhaus (metrô U4 atéSchwedenplatz, depois tram N até Hetzgasse) que é um prédio super interessante com uma proposta arquitetônica muito legal. Além dessas também queria ter visitado a Donauturm uma torre de 252 metros de altura que é possível admirar a cidade inteira de Viena (programa melhor para o verão) e o Leopold Museun também no MuseumsQuartier, mas que estava fechado quando fui e tem obras incríveis de  Gustav Klimt.

Viena não é uma cidade grande, portanto praticamente todas essas atrações ficam bem perto umas das outras e podem ser feitas a pé.

Leia também

Anne Frank House – a melhor forma de visitar

Albertina, o museu mais lindo do mundo em Viena

O melhor hostel da vida em Copenhagen

Wiener Eistraum, o festival de inverno mais legal de Viena

Restaurante em Viena perto da Ópera