Dica de restaurante no Upper East Side

Dicas de Nova York é o que mais tem por aqui. Dicas de passeiosmuseus, alguns restaurantes, o melhor cachorro quente, a melhor pizza, o melhor cookie, o melhor cheesecake… Nova York é a cidade com mil e uma opções para tudo e sugestões do que comer e fazer nunca é demais.

Dica de restaurante no Upper East Side

Estava saindo do Museum of the City of New York e iria direto para o MET, mas depois de muito passear resolvi antes almoçar pela região. Não conhecia nenhum restaurante por ali e, para ir admirando as famosas lojas, ao invés de descer pela 5ª Avenida onde ficam os dois museus decidi descer pela Madison Avenue. Depois de ver inúmeras opções de restaurantes por ali, decidi entrar no Via Quadronno.

Analisei o menu, gostei das opções, dos preços e decidi entrar. Logo que entrei dei de cara com ninguém mais ninguém menos que Daniel Craig (o ator que interpreta o atual 007) e minha fome também era tanta que não dava para ir para outro lugar.

O Via Quadronno é um restaurante italiano que fica no Upper East Side e serve pratos como massas, risotos e paninis. Todas as mesas próximas a mim estavam comendo paninis e fiquei com tanta vontaade que também pedi um (a foto está das piores, mas esse é o panini) de mussarela de búfala com parma que estava incrível.

41 40

O ambiente é aconchegante e o serviço é muito bom. Achei uma ótima opção de restaurante no Upper East Side na região dos museus e os preços são bons e condizem muito com Nova York, com a localização e com o que oferece variando em torno de U$13 o panini e U$25 a massa.

O menu está disponível no site deles e além da filial da Madison eles possuem outra casa, também no Upper East, na  73rd Street. Vi no site que além de almoço e jantar eles também servem um café da manhã que parece ser muito bom.

Leia também

Dica de restaurante no DUMBO, Brooklyn

Um dia no Brooklyn – Ponte, DUMBO e Williamsburg

23 passeios para se fazer de graça em Nova York

5 atrações para não deixar de ver no MET

Smorgasburg, feira gastronômica no Brooklyn

5 passeios imperdíveis em Berlim

Berlim é uma das capitais com mais coisas para se fazer do mundo. A cidade é cheia de história, de vida, com muita atividade diferente e interessante. Já fiz um post sobre o que fazer em 4 dias em Berlim aqui, mas agora decidi juntar os que, para mim, são os 5 passeios imperdíveis na cidade para quem tem pouco tempo e para quem gosta de história e quer conhecer mais sobre o que aconteceu nessa cidade que conta tanto sobre o que já aconteceu no mundo.

5 passeios imperdíveis em Berlim

1. DDR Museum

O DDR Museum é um museu super interativo e interessante dedicado à vida e ao dia-a-dia na Alemanha Oriental socialista. Lá é possível ver vários ambientes recriados com muita precisão da mesma forma que eram naquele período, como cômodos de casa e escritórios, além de terem vários itens e objetos daquele período como carros, roupas, móveis, etc. Achei o museu muito legal e vale a pena conhecer melhor essa outra história de Berlim, já que a maioria dos museus e atrações são sobre a Segunda Guerra e o Nazismo. No site deles tem todas as informações sobre o museu e visitas.

 

2. Berliner Unterwelten

Já fiz um post sobre o Berliner Unterwelten aqui. Para quem gosta de história e principalmente quer saber mais sobre a Segunda Guerra visitar o Berliner Unterwlten é imperdível. O Berliner Unterwelten é um dos últimos bunkers da Guerra ainda existente e fica localizado, subterraneamente, ao lado da estação de metrô Gesundbrunnen. Fiquei sabendo muitas curiosidades e muitas informações sobre como era praticamente viver em um bunker durante aquele período e ver de perto é muito interessante. Eles oferecem cinco tipos de tour diferentes, até um sobre a Guerra Fria e um que os visitantes andam embaixo do antigo Muro de Berlim.

3. Campo de Concentração Sachsenheusen

Aqui no blog já tem também um post dedicado apenas ao Sachsenheusen aqui com dicas de como chegar e como é a visita ao Campo. O Sachsenheusen é um Campo de Concentração que fica bem próximo de Berlim e é uma experiência muito impactante e chocante, mas quase que necessária. Conhecer mais de perto um Campo e imaginar de forma mais concreta como era a vida que aquelas pessoas eram submetidas com certeza nos refletir muito. As informações de preços e o que pode ser visto lá estão aqui.

Dormitórios do Campo de Concentração de Sachsenheusen.

4. Memorial to the Murdered Jews of Europe

De todos os 5 passeios citados neste post, o mais conhecido e que basicamente qualquer turista que vai a Berlim visita é o Memorial to the Murdered Jews of Europe. É um memorial criado para lembrar os judeus da Europa mortos no Holocausto e é composto por 2.711 blocos de concreto de alturas variadas. O memorial possui também um centro de informação subterrâneo onde os visitantes podem conhecer mais sobre as vítimas do Holocausto e sobre o que aconteceu.

Os blocos de concreto do Memorial.

5. Topographie des Terrors

Falei no post dos 4 dias em Berlim que achei o Topographie des Terrors o melhor museu de Berlim sobre o Nazismo e por isso é o mais visitado da cidade (além da entrada ser gratuita). É um museu documental que mostra a história bem detalhada daquela época. O nome “topografia do terror” vem do fato de que, no mesmo lugar onde hoje é o museu, durante o Terceiro Reich, funcionava a sede da SS, a polícia secreta alemã. As informações sobre o funcionamento do museu estão no site deles.   

O interior do Topographie des Terrors.

Leia também

4 dias em Berlim

Hostel em Berlim bom e bem localizado

Copenhagen para Berlim de ônibus

Visitando um bunker da Segunda Guerra em Berlim

Sachsenhausen, campo de concentração perto de Berlim

Vídeo – 4 dias em Berlim

3 dias em Praga

Como já comentei neste post  sobre o hostel que fiquei, achei Praga uma surpresa muito boa. Não esperava tanto de lá e me surpreendi muito positivamente. A cidade é relativamente pequena e 3 dias por lá é possível ver e fazer os programas turísticos.

3 dias em Praga

1º dia

Como já comentei em outros posts, sempre gosto de começar o roteiro em alguma cidade (principalmente na Europa onde é muito comum) fazendo o Free Walking Tour. Sempre os tours são realizados por algum estudante de história ou alguém que sabe muito sobre a cidade e é cheio de curiosidade e informações interessantes que não acharíamos em outro lugar.

Assim como em Berlim, fiz o Free Walking Tour com a Sandeman’s e o ponto de encontro é na Praça da Cidade Velha. Para participar é preciso reservar um horário pelo site deles. O tour é apenas na parte baixa da cidade e começa na Praça da Cidade Velha onde estão o Relógio Astronômico e a Igreja de Nossa Senhora de Týn e percorre vários pontos da parte baixa da cidade.

O Free Walking Tour abrange muitos lugares em um tempo relativamente curto – em torno de 3 horas. Portanto o mais legal do tour são as curiosidades e as informações que não saberíamos visitando por conta própria.

Depois do tour visitei sozinha alguns lugares que já havia visitado, mas com mais calma. Nesse primeiro dia fiquei apenas na Cidade Velha e por lá além do Relógio e da Igreja – que são os monumentos mais famosos da Praça – também estão a Igreja de St. Nicholas e a Torre da Antiga Prefeitura (dá pra subir!) para curtir o visual da cidade.

Depois fui para o Bairro Judeu onde é possível visitar o Museu Judaico de Praga que é composto por quatro sinagogas, a Klausen, a Maisel, a Pinkas e a Espanhola, além do Velho Cemitério Judaico. Os ingressos e mais informações podem ser encontrados no site oficial do Museu. Uma curiosidade muito legal que fiquei sabendo no Free Walking Tour é que no passeio, na frente de várias casas no bairro Judeu existem plaquinhas de bronze no chão com o nome, a data de nascimento e para qual campo de concentração o judeu que morava lá foi levado.

Exemplo das plaquinhas na frente de uma casa no Bairro Judeu em Praga.

Em seguida fui para a Charles Bridge, a ponte mais antiga da cidade e um dos cartões postais de Praga. Ela tem quase meio quilômetro de extensão e separa o Distrito do Castelo da Cidade Velha (onde fica a Praça).

 

2° dia

No segundo dia visitei o Distrito do Castelo que é um complexo composto por vários prédios, dentre eles a Catedral de St. Vitus, o Antigo Palácio Real e a Basíllica de St. George. Existem três circuitos para visitar o Distrito do Castelo, o A, o B e o C. Cada um abrange monumentos diferentes e os preços também variam entre 250 CKK e 350 CKK. As informações sobre como visitar o Castelo de Praga estão no site.

Catedral de St. Vitus.

Neste dia visitei também a Lennon Wall, a famosa parede que começou a ser grafitada nos anos 80 com letras de música dos Beatles e que causou irritação no regime Comunista diversas vezes.

John Lennon Wall.

Se sobrar tempo recomendo descer pela Rua Nerudova para a Cidade Baixa e passear pela Praça e seus arredores de novo. Por lá existem muitos restaurantes e cafés legais.

3° dia

No terceiro dia visitei a Cidade Nova, região que fica nos arredores do centro histórico, com prédios mais novos e diversos centros comerciais. Por lá passei pela Praça Venceslau e fui ao Museu Nacional que é lindo. Outra atração imperdível nessa parte da cidade é o Prédio Dançante, edifício localizado às margens do Rio Vltava com uma arquitetura super legal.

A “Casa Dançante”.

Para fazer comprar e ir em lojas a melhor opção em Praga é a Na Příkopě, avenida onde estão as principais lojas e as mais conhecidas.

A Na Příkopě em Praga.

Leia também:

Hostel em Praga ao lado do Castelo

Praga para Viena de ônibus

Comendo bem e barato em Praga

Trdelník, o famoso doce Tcheco em Praga

O melhor Prego de Lisboa

Passeando pelo Bairro Alto em Lisboa a procura de um lugar para almoçar encontrei o simpático “O Prego da Peixaria”, um restaurante bem legal cuja especialidade é o “prego”. Nunca tinha ouvido falar no prato “prego”, mas o lugar era tão descolado e bem decorado que resolvemos entrar e conhecer. O prego é um prato tradicional de Portugal que é basicamente uma carne bovina no pão, mas “O Prego da Peixaria” resolveu inovar e fazer pregos de peixes e bem mais modernos.

O melhor Prego de Lisboa

IMG_5755 IMG_5756

IMG_5757 IMG_5764

Além dos pregos o “O Prego da Peixaria” também serve outros pratos, como saladas e hambúrgueres de camarão, salmão e bacalhau, além de sobremesas incríveis. No site oficial deles possui o menu completo.

IMG_5762 IMG_5763

Achei a proposta do restaurante bem legal e estava uma delícia! O endereço é Rua da Escola Politécnica, 40 e ele fica bem pertinho do Atalho Real, outro restaurante muito bom que recomendei nesse post aqui.

Leia também:

O melhor gelato de Portugal

Dica de restaurante em Lisboa

LX Factory – antiga fábrica com lojas e restaurantes em Lisboa

O melhor pastel de nata de Portugal

5 coisas para se fazer em Évora

Casa Fernando Pessoa e Fundação José Saramago em Lisboa