Anne Frank House – a melhor forma de visitar

Sempre tive um interesse muito grande pela história da Segunda Guerra, dos personagens e da história individual de cada pessoa que viveu naquele período. É claro que temos acesso a poucas histórias, mas as poucas que temos eu procuro e leio. A principal e mais conhecida delas é a da Anne Frank.

Seu diário conta a história do período em que ela e sua família viveram escondidos no “Anexo Secreto”, o esconderijo que hoje é o museu “Anne Frank House”. Otto, pai de Anne, foi o único dos moradores do anexo que sobreviveu à Guerra e, em 1960 o Diário de Anne se popularizou e seu pai resolveu fazer do Anexo, um museu.

O museu

Quando os guardas da S.S. invadiram o anexo e a família Frank e os outros moradores de lá foram levados aos campos de concentração, eles levaram, além das pessoas, todos os móveis da casa, para que fossem vendidos. Seguindo o pensamento nazista de que deveriam tirar tudo dos judeus, desde seus bens, até sua vida.

Sendo assim, após a decisão de Otto de que tudo deveria permanecer da forma que deixaram, na Casa de Anne Frank não existem móveis.

O museu é cheio de fotos, vídeos e histórias de Anne e sua família e na última sala está exposto o seu diário. É emocionante.

IMG_2026
Foto tirada a partir da faixada da Anne Frank House.

Ingressos – qual a melhor forma de visitar?

Na minha primeira vez em Amsterdam vi a casa de Anne só da faixada, pois a fila para o museu era quilométrica e não tinha condição de esperar já que existe um número determinado de pessoas que podem entrar lá por vez. Por isso, ao planejar minha ida dessa vez decidi que queria comprar o ingresso com antecedência, para não deixar de ir.

A melhor forma é comprar pelo site do museu. Pelo site é necessário agendar um dia e um horário para a visitação, portanto tudo já deve estar planejado. O preço do ingresso por adulto é de 9 euros e deve ser impresso e entregue na porta com 15 minutos de antecedência do horário comprado.

Não é permitido tirar fotos da casa, mas como o meu ticket incluía uma introdução de 30 minutos em inglês antes, eu tirei na sala que era permitido.

Esse era o único ticket disponível no dia e custa 14 euros. Eles contam a história da família e da guerra. É bom para quem nunca leu o livro ou quem não é familiarizado com a história da Segunda Guerra, pois dizem apenas o básico, eu, por exemplo, não vi nada de novo.

Foto da linha do tempo na sala de introdução do Museu.
Foto da linha do tempo na sala de introdução do Museu.

Leia também

Bruges e Gent em um dia 

Onde ficar em Londres

Genebra – dicas, o que fazer e como ir

Como ir do aeroporto de Copenhagen ao centro

Curso de francês em Paris